Infância e Adolescência

As Vacinas e as Fake News

Confira as respostas para dúvidas mais comuns sobre Vacinação

Anualmente o dia 9 de junho é marcado pelo Dia da Imunização. O principal objetivo desta data é conscientizar a população sobre a importância da vacinação para combater certas doenças, como caxumba, sarampo, gripe, entre outras. Atualmente, são divulgadas informações mentirosas sobre as vacinas nas redes sociais. Por conta disso o coordenador da Unidade de Vacinas do Hospital Moinhos de Vento, Dr. Paulo Ernesto Gewehr Filho desmistifica algumas dúvidas mais comuns na sociedade.

 

“Tenho medo dos efeitos colaterais, quais são eles”?

Todas as vacinas podem apresentar efeitos colaterais que, na grande maioria, são leves e com resolução espontânea em até dois dias. Por exemplo, pode-se sentir dor no momento da aplicação no local e após até vermelhidão e inchaço. Para essas situações utilizamos gelo local e analgésico. Outros efeitos colaterais menos comuns que podem surgir são febre, diarreia e cefaleia, que podem ser resolvidos prontamente com o uso de sintomáticos.

Em situações muito raras podem ocorrer alergias a vacina, que são rapidamente resolvidas com tratamento adequado.

 

“Quem é saudável não precisa se vacinar”?

As pessoas “saúdáveis”, que não apresentam nenhum problema de saúde, também estão vulneráveis as doenças infecciosas, por isso é importante combater elas com vacinação.

 

“Vou viajar, preciso tomar vacinas? Quais”?

Antes de viajar é importante que crianças, adolescentes, adultos e idosos estejam com as vacinas em dia. Existem calendários de vacinação e vacinas específicas para cada idade. Antes de viajar, é importante verificar os riscos de doenças infecciosas do destino, pois podem ser diferentes do local de residência do viajante, necessitando vacinas específicas e também orientações pontuais para a prevenção.

 

“Por que devo me vacinar anualmente?”

Estudos mostram que a proteção criada por algumas vacinas pode diminuir com o tempo, necessitando reforços periódicos como a vacina do tétano e da meningite, a fim que restabelecer o nível de proteção adequado. Outras vacinas como a gripe necessitam ser atualizadas anualmente devido a modificações nos tipos de vírus influenza que circulam, estando assim atualizadas para os tipos de vírus que irão circular naquele ano específico. Assim, cada vacina tem um planejamento de doses específico que pode variar com a idade da pessoa, por conta disso busque entender o seu caso com os profissionais de saúde.

 

“Como combater as mentiras e encontrar informações confiáveis?”

A conscientização da importância da vacinação é fundamental para mantermos a população protegida, evitando o retorno de doenças graves. Infelizmente as coberturas vacinais na população vêm diminuindo de forma preocupante nos últimos anos. O próprio sucesso das vacinas é responsável em parte por este fenômeno uma vez que as doenças desaparecem, fazendo com que as pessoas esqueçam-se do risco e da importância de sua prevenção.

 

“O que é o Anti-vacinismo?”

Nós últimos anos, o movimento anti-vacinismo tem tomado grandes proporções principalmente fora do Brasil. Com a divulgação nas mídias sociais de informações falsas e sem fundamento científico a respeito da segurança das vacinas, milhares de pessoas estão deixando de realizar as vacinas em si e nos seus filhos. Por conta disso, é fundamental a comunicação e esclarecimento da população pelos profissionais de saúde, apontando acerca da segurança e eficácia da imunização por vacinas.

 

Fonte: Médico Infectologista e Coordenador do Núcleo de Vacinas , Dr. Paulo Ernesto Gewehr Filho (CRM 29512)