BLOG

Explore as novidades

Imagem destacada
ABRIR
Mais temas

Preparado para o recomeço

O fim de um tratamento oncológico é o início de uma nova vida para os pacientes e familiares. E estar atento a tantas mudanças emocionais é imprescindível.

“A pessoa que emerge do tratamento não é mais a mesma que o iniciou. As perspectivas de futuro individuais mudam, toda a escala de valores e prioridades é revista. E isso é natural. E inconsciente”, explica a psiquiatra do Hospital Moinhos de Vento Lorena Caleffi.

“A pessoa que emerge do tratamento não é mais a mesma que o iniciou.”

Lidar com todas essas transformações exige muito do paciente. Por isso, ter um espaço ou momento para pensar sobre essa retomada é fundamental para a saúde emocional, seja com grupo de apoio, psicoterapia ou um tratamento psiquiátrico.  

Algumas pesquisas indicam que entre 60% e 70% dos pacientes que recebem alta de um tratamento oncológico necessitam permanecer em tratamento psiquiátrico. Isso se deve ao fato de que é bastante comum o desenvolvimento de crises depressivas em algum momento do tratamento.

“Ao receber o diagnóstico, durante a quimioterapia, ou até mesmo quando esse paciente relaxa, ao final do tratamento, se observa que ele está deprimido. Não ter preconceitos e procurar ajuda de um profissional capacitado é a melhor opção para enfrentar essa nova situação e sair do tratamento de uma maneira fortalecida ”, ressalta a Dra. Lorena.

Aprender uma nova língua e ler ajudam na recuperação

Ter consciência de todos os efeitos colaterais que o tratamento provoca no organismo é indispensável nessa fase. Um deles é conhecido como Chemo Brain, como é chamado o déficit cognitivo leve e temporário relatado pelos pacientes.

“Eles descrevem uma dificuldade de raciocínio rápido, que esquecem algumas palavras etc. Isso causa uma sensação ruim ao paciente que está retomando a sua vida”, destaca a psiquiatra.

Praticar uma atividade diferente da exercida profissionalmente, escovar os dentes com a mão contrária, trocar trajetos diários, aprender um novo idioma e ler são maneiras de estimular o cérebro, promover a sua recuperação mais rapidamente e colaborar para a melhoria na autoestima.

Fique de olho!

A Dra. Lorena também faz um alerta importante.

A depressão pode ser um dos sintomas presentes antes mesmo do diagnóstico de câncer. Por isso, é importante que a doença seja tratada por um especialista e que as causas da depressão sejam investigadas a fundo, o que pode incluir avaliações em outras especialidades.

Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookEmail to someone
0 comentários

EXPLORE AS NOVIDADES NO SEU E-MAIL

icone-mail Assine nossa newsletter e receba as novidades no seu e-mail.